Notícias

Contra a cura gay, ato #AmarSemTemer vai ocupar a Av. Paulista neste domingo, dia 24

O SinPsi convoca toda a categoria a participar do ato #AmarSemTemer, que acontecerá no próximo domingo, dia 24, das 11h às 18h, na Av. Paulista, 960. Vamos calar de vez aqueles que ainda insistem em patologizar o amor, com a famigerada proposta de terapia de cura gay.

O evento começa com uma roda de conversa, das 11h às 13h, com a participação de Symmi Larrat, mulher trans e presidenta da Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, TRavestis, Transexuais e Intersexos (ABGLT); Luna Hansen, rapper; Rogério Gianinni, presidente do Conselho Federal de Psicologia (CFP); Renan Quinalha, professor da Unifesp e ativista LGBT; Alexya Salvador, mulher trans e pastora evangélica; e Marcia Zanelatto, escritora dramaturga e ativista LGBT.

Às 14h haverá show com Otto, Banda Uó, Chico César, Rico Dalasam e Lorena Simpson.

O sindicato vem como apoiador do evento.

Por que nos mobilizar?

O golpe abriu a Caixa de Pandora e dela têm saído todos os horrores que nós possamos imaginar.

Os violadores, conservadores, intolerantes, agora empoderados e aliançados com setores espúrios do judiciário, vêm acabando, em curto prazo de tempo, com todos os direitos adquiridos pela sociedade civil organizada.

Prova disso foi a decisão da Justiça Federal da Seção Judiciária do Distrito Federal que acatou parcialmente o pedido liminar numa ação popular contra a Resolução 01/99 do CFP, que orienta profissionais da área atuarem nas questões relativas às orientações sexuais.

Essa resolução histórica, premiada internacionalmente, considera:

“(…) que a forma como cada um vive sua sexualidade faz parte da identidade do sujeito, a qual deve ser compreendida na sua totalidade; que a homossexualidade não constitui doença, nem distúrbio e nem perversão; que há, na sociedade, uma inquietação em torno de práticas sexuais desviantes da norma estabelecida sócio-culturalmente; que o/a psicólogo/a pode e deve contribuir com seu conhecimento para o esclarecimento sobre as questões das sexualidades, permitindo a superação de preconceitos e discriminações.”

A decisão liminar abre a perigosa possibilidade de uso de terapias de reversão sexual, a famigerada “cura gay”.

Não podemos ficar [email protected] diante de mais um retrocesso!

Confirme sua presença no evento do Facebook e divulgue!

Deixe um comentário