Em destaque, Notícias

21 dias de ativismo pelo fim da violência contra mulheres

Desde 2003 se promove no Brasil a campanha “21 dias de ativismo pelo fim da violência contra as mulheres”, que ocorre entre os dias 20 de novembro (dia da consciência negra) e 10 de dezembro (dia internacional dos direitos humanos). A iniciativa, que surgiu em 1991 por meio do Centro de Liderança Global de Mulheres (CWGL), busca promover ações de denúncia e conscientização e prevenção contra abusos e violências cometidos contra mulheres.

E as mulheres negras continuam a ser as principais vítimas

Segundo o Atlas da Violência do Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP), divulgado em 31 de agosto de 2021, “em 2019, 66% das mulheres assassinadas no Brasil eram negras18. Em termos relativos, enquanto a taxa de homicídios de mulheres não negras foi de 2,5, a mesma taxa para as mulheres negras foi de 4,1. Isso quer dizer que o risco relativo19 de uma mulher negra ser vítima de homicídio é 1,7 vezes maior do que o de uma mulher não negra, ou seja, para cada mulher não negra morta, morrem 1,7 mulheres negras.

No entanto, a violência não se manifesta apenas em casos extremos de assassinatos; diversas outras formas de agressão, físicas e psicológicas fazem parte constante do universo das mulheres no Brasil, seja no ambiente familiar – principalmente tendo como agressor o companheiro ou ex – seja no trabalho, por meio de assédio moral e sexual.

Diversas iniciativas têm sido tomadas pelas entidades sindicais, organizações populares, governos e até empresas para diminuir os casos de violência. A Central Única dos Trabalhadores/as – CUT – disponibiliza o email [email protected].

“Nossa categoria tem uma grande missão nesse combate à violência. Na condição de psicólogas e, principalmente, mulheres, sabemos da importância do cuidado, da escuta e da atenção a quem sofre algum tipo de violência e podemos ajudar muito as vítimas, tanto nos cuidados como no encorajamento à denúncia”, afirma a diretora do Sindicato, Marcella Milano

Durante os 21 dias, a CUT produz e divulga um card por dia. Confira algumas outras atividades que ocorrem.


23 de novembro
Divulgação nas redes sociais do card 21 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres

25 de novembro
Sindicato dos Vestuário de Sorocaba em parceria com Conselho Municipal de Mulheres da cidade promove panfletagem nas portas das fábricas

09h30 às 11h30 Sindicato dos Químicos do ABC promove Reunião Virtual -Lançamento da Campanha “Segura em Casa, Segura no Trabalho”, com transmissão através do zoom meeting

10h – Fetam promove a live Refletindo sobre a Consciência Negra, transmissão na página da entidade 

12h – Ação no twitter: tuitaço com a hastag #RespeitaAsMinas e divulgação de card da campanha 21 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres

No site da CUT São Paulo, em destaque, o vídeo Basta de Violência Contra as Mulheres #CutSpSororidade.

– Divulgação de composição das Mulheres Cantantes da CUT-SP

02 de dezembro
14h A Associação Mulheres Guerreiras de Campinas, promove a live “Violência no trabalho sexual” 

03 de dezembro (quinta-feira)

Dia Nacional de Luta da Pessoa com Deficiência atividade em construção com a Secretaria de Políticas Sociais da CUT-SP

17h às 19h – Webinário da ISP (Internacional de Serviços Públicos): 16 dias de ativismo contra a violência de gênero: Você sabe como enfrentar a violência no trabalho?

10 de dezembro
Divulgação de composição das Mulheres Cantantes da CUT-SP

Dia Internacional dos Direitos Humanos atividade em construção com a Secretaria de Políticas Sociais e Direitos Humanos da CUT Brasil.

_____________
Com informações: CUT Brasil