Notícias

Contra os retrocessos aos trabalhadores e Diretas Já, sexta-feira é Greve Geral!

Greves e manifestações ocorrerão em todo o estado; SinPsi estará presente

A Avenida Paulista será palco de mais um ato popular na próxima sexta-feira (30) contra as reformas Trabalhista e Previdenciária e por eleições diretas. A manifestação é organizada pela CUT, demais centrais sindicais e pelas frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo.

A concentração será a partir das 16h, no vão livre do Museu de Artes de São Paulo (Masp), no mesmo dia em que várias categorias promoverão Greve no Brasil. Em seguida, haverá uma caminhada até a sede da Prefeitura, no centro, para denunciar as tentativas de privatizações dos equipamentos públicos pela gestão de João Doria (PSDB).

As paralisações compõem a jornada de lutas de junho, que teve início no último dia 20, quando várias categorias realizaram assembleias e manifestações nos locais de trabalho, em praças públicas e distribuíram jornais nos transportes públicos e terminais de ônibus.

A preparação agora se fortalecerá após a derrota por 10 a 9 da proposta da Reforma Trabalhista (PLC 38/2017) na Comissão de Assuntos Sociais (CAS) do Senado.

Presidente da CUT São Paulo, Douglas Izzo, reforça a luta organizada contra o golpe. “Vamos paralisar o Brasil e mostrar mais uma vez a capacidade da classe trabalhadora porque sabemos que se as reformas dos golpistas avançarem, a sociedade brasileira, os que ainda irão se aposentar, os mais jovens que nem entraram no mercado de trabalho, sofrerão com os retrocessos deste nosso momento. Estamos defendendo direitos conquistados com muito suor e sangue e o nosso papel é resistir até a vitória”, afirma.

Com retrocessos como a reforma trabalhista, que precarizará ainda mais os direitos [email protected] [email protected] [email protected], prestes a serem aprovados pelo Congresso Nacional, a pauta histórica das 30 horas semanais para a categoria [email protected] psicó[email protected] se tornará ainda mais distante.

O SinPsi estará presente na manifestação de sexta-feira para defender a verba para a saúde pública e o retorno do país a sua normalidade democrática. A presidenta do sindicato Fernanda Magano reforça que a situação política é grave também no estado de São Paulo e na capital.

“O cenário político do país é extremamente grave. Chamamos [email protected] Psicó[email protected] a se unirem a luta contra este desmonte nacional. E em especial os enfrentamentos no estado e município de São Paulo, pois as gestões Alckim e Doria retiram Direitos [email protected] [email protected]  e cortam verbas das Políticas Públicas deixando a população desassistida e fechando serviços”, encerrou.

Com informações: CUT SP

Deixe um comentário