Notícias

31 de março: Mobilização vai preparar o país para a greve geral em abril

Confira abaixo o jornal especial contra a Reforma da Previdência

Contra a retirada dos seus direitos, psicó[email protected], o SinPsi vem reforçar que dia 31 de março é o “Dia Nacional de Mobilização”. A data servirá para organizar a categoria e toda a classe trabalhadora para a greve geral do dia 28 de abril.

“Estaremos na rua contra a reforma da Previdência, a Reforma Trabalhistas e contra esse absurdo da aprovação da terceirização. Por tudo isso, todo a classe trabalhadora tem motivo para ir às ruas no dia 31 de março. Na semana que vem, as centrais irão se reunir e anunciar uma data, ainda em abril, para a greve geral. O dia 31 de março vai ser uma etapa dessa construção”, afirma Sérgio Nobre, secretário geral da CUT.

As mobilizações do dia 31, assim como ocorreu nos dias 8 e 15 de março, Dia Internacional das Mulheres e Dia Nacional de Paralisação, respectivamente, deverão tomar as ruas de todo o país. Paralisações de categorias, manifestações, trancamento de avenidas e rodovias são algumas das ações previstas.

O SinPsi conta com a participação em massa de psicólogas e psicólogos de São Paulo. Procure as nossas bandeiras e junte-se a nós em mais esse momento de luta e união. Vamos juntos fazer a história do mundo do trabalho da Psicologia!

“Nós queremos fazer dessa data, um dia de conscientização da sociedade brasileira sobre a importância de uma greve geral”, afirmou Nobre, que criticou a postura do governo atual, comandado por Michel Temer, que ascendeu ao poder após um golpe parlamentar.

“Nós temos um governo sem legitimidade, que não foi eleito pelo povo. Portanto, seu programa não representa a vontade da maioria. A CUT não se nega a negociar, mas pra sentar na mesa com a CUT tem que ter legitimidade e credibilidade e esse governo não tem. A única coisa que reverte a tragédia que está em curso no Brasil é promover uma grande greve geral”, alerta o secretário geral da Central.

Clique aqui e leia o jornal contra a Reforma da Previdência.

Deixe um comentário