Notícias

Crescem atividades do Congresso do Povo em São Paulo

Movimentos que compõem a Frente Brasil Popular organizam debates por regiões

Movimentos populares, centrais sindicais, partidos políticos e sindicatos que compõem a Frente Brasil Popular organizam atividades para o Congresso do Povo neste final de semana em diferentes regiões do estado de São Paulo.

O diálogo permanente sobre a conjuntura política brasileira e os problemas enfrentados pela população em cada região, bem como a construção de um projeto popular para o Brasil, estão entre os objetivos desta iniciativa.

Neste sábado (19), as atividades ocorrem no bairro Jardim Triana, zona leste da cidade de São Paulo, e nas cidades de São Carlos, Campinas, Carapicuíba, Ubatuba e Itanhaém. No domingo (20) é a vez de Barueri. No ABC, os movimentos se reúnem na próxima terça (22) para a preparação de um seminário regional previsto para meados de junho.

A construção do Congresso do Povo se dá por etapas, é organizada nas regiões, estruturada pelas bases e debate o golpe e suas consequências, como a retirada de direitos da classe trabalhadora desde a derrubada da presidenta eleita Dilma Rousseff, até este momento de perseguição ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, considerando, ainda, o cenário de eleições em 2018 e o que está em disputa no Brasil.

“O congresso é uma ferramenta de construção coletiva, inserida na realidade do povo brasileiro, que é quem deve construir a luta e o projeto popular do país que queremos. Vivemos tempos difíceis de luta, de perseguição, com um golpe em curso, com direitos sendo retirados dos trabalhadores e trabalhadoras. Acreditamos na unidade para fazer a ofensiva”, afirma o presidente da CUT-SP, Douglas Izzo.

Na zona leste de São Paulo, no bairro Jardim Triana, o congresso do povo começa às 14h, na Rua Frederico Brotero, 60, próximo à estação Patriarca do Metrô (linha vermelha) e à UBS Patriarca. Outros congressos locais também estão sendo organizados na região.

Um dos organizadores da atividade na zona leste e também representante do setor de Cultura do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), Luciano Carvalho, lembra que os congressos representam a chance de os movimentos retomarem os trabalhos de base de forma pedagógica, como os que eram feitos pelas Comunidades Eclesiais de Base, na década de 1960, que reuniam camponeses, indígenas, trabalhadores, quilombolas e outros segmentos.

“É momento de diálogo com a sociedade e mantermos os ouvidos atentos às demandas da população pode nos ajudar a construir um projeto de país no qual a classe trabalhadora se reconheça”, avalia.

Nessa mesma linha política, na cidade de São Carlos (SP) os movimentos farão o lançamento do Congresso do Povo no sábado, às 9h, na Rua XV de novembro, nº 2.493, na região central.

Também para o coordenador da subsede da CUT em São Carlos, Edinaldo Ferreira, “este é um momento de unirmos as forças progressistas para construirmos uma proposta de nação. Não aceitamos o golpe e tudo que ele está tirando de nós”, diz.

No cenário político atual, avalia a militante do Levante Popular da Juventude, Gabriela Guedes, é importante lembrar que a resposta que a classe dominante tem dado para a crise econômica no Brasil não está de acordo com os interesses da população.

 “Temos que discutir com toda a sociedade os problemas atuais, entendermos as raízes desses problemas e como nos organizarmos para a construção de um projeto de país. É neste sentido que incentivamos a ampla participação da juventude, uma das mais afetadas, seja com o desemprego ou com a violência que mata milhares nas periferias do Brasil”, diz.

Na cidade de Campinas, reunindo jovens e trabalhadores de diferentes segmentos é que as entidades ligadas à Frente Brasil Popular farão um seminário de formação regional no sábado, das 13h às 18h. A atividade será na Rua Doutor Quirino, 594, no centro. O evento ocorre na sede do Sindicato dos Servidores Públicos Federais da Justiça do Trabalho.

Ainda no sábado (19), em Carapicuíba, o Congresso do Povo será a partir das 14h, na Avenida Sandra Maria, 501. Na cidade de Itanhaém, será às 10h, na Rua Telmo Diz, 188, no bairro Vila São Paulo, próximo à Câmara Municipal da cidade.

Já em Ubatuba, os movimentos organizam um seminário o dia todo, das 9h às 18h, na sede da Câmara Municipal, à Rua Antônio Marques do Vale, 250, no bairro Silop, em frente ao Batalhão da Polícia Ambiental.

Militante da Marcha Mundial das Mulheres, Alessandra Ceregatti é uma das organizadoras do debate em Ubatuba. Para ela, o congresso fortalece a auto-organização popular.

“É preciso juntar nossas forças que hoje em dia estão fragmentadas, tensionadas, descoordenadas; fortalecer nosso o entendimento comum sobre os atores que estão por trás do golpe, suas motivações, como atuaram e, a partir daí, avançar em ações unitárias de diálogo com a população, que se encontra refém não apenas da mídia, mas das próprias forças que detêm o controle da economia localmente”, aponta.

No domingo (20), o Congresso do Povo ocorrerá em Barueri (SP), às 14h, na Rua Claro de Camargo Sobrinho nº 74, no bairro Vila Pouso Alegre, sede do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção e do Mobiliário.

Organização popular

As bases para a criação do Congresso do Povo foram lançadas pelos cerca de 80 movimentos que compõem a Frente Brasil Popular no dia 2 de fevereiro, na Escola Nacional Florestan Fernandes, do Movimento das Trabalhadoras e dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), em Guararema, no interior de São Paulo.

No dia 25 de março ocorreu o Seminário Estadual em São Paulo, no Sindicato dos Metalúrgicos em São Bernardo do Campo, palco de lutas e resistência da classe trabalhadora.

Na cidade de Osasco, o Congresso foi em 5 de maio. Já na capital, os movimentos organizaram atividades por regiões, considerando o tamanho do município.

Entenda como funciona

Neste momento são organizados os congressos regionais e municipais por todo estado paulista e, após essas etapas, ocorrerá o Congresso Estadual, previsto para julho de 2018. Assim que todos os estados realizarem encontros pelo Brasil, será organizada a etapa nacional do Congresso do Povo, ainda sem previsão.

Os Congressos são abertos a toda população e podem ser organizados por bairros, escolas, locais de trabalho e qualquer segmento que tenha interesse nesta construção. Em São Paulo, as pessoas podem tirar dúvidas pelo telefone (19) 9 9810-8600 (WhatsApp) ou pelo e-mail [email protected]. <Clique aqui para acessar a cartilha e outros materiais>

A proposta é consolidar, ao final do processo, uma síntese das realidades, construindo como resultado um projeto popular para o país, pautado na democracia, na soberania nacional, no combate às desigualdades e na garantia de direitos sociais e trabalhistas.

Deixe um comentário