Notícias

SinPsi participa de Festival / Ato nacional pelas cotas na Unicamp

Acontece hoje (29) e amanhã (30) o Festival / Ato nacional pelas cotas na Unicamp, organizado pela Frente Pró-Cotas da Unicamp junto ao Núcleo de Consciência Negra da Unicamp. O SinPsi estará representado pela secretária de Políticas Sociais, Cinthia Vilas Boas.

O ano de 2016 vai ser lembrado como o ano da greve estudantil que marcou a história da Unicamp, uma mobilização, iniciada pelas pressões da comunidade negra, que teve grande aderência dos estudantes de diferentes cursos e campi As pautas principais foram a ampliação da permanência estudantil, o combate aos cortes impostos pela reitoria e a implementação das cotas raciais e sociais no sistema de ingresso dos cursos de graduação.

Após, aproximadamente, 100 dias de greve, aconteceram em setembro, outubro e novembro, três audiências públicas com a participação de movimentos sociais da cidade e do estado de São Paulo. As audiências foram essenciais para a construção de um projeto de cotas que, no dia 21 de fevereiro de 2017, foi apresentado em uma reunião extraordinária do CONSU – Conselho Universitário da Unicamp, e encaminhado para que as unidades de ensino o discutissem. 

Após esse processo de debate com a comunidade acadêmica, na próxima terça-feira, dia 30 de maio, será decidido pelo Conselho Universitário se a Unicamp vai adotar as cotas raciais no sistema de ingresso dos cursos de graduação ou se se assumirá como uma instituição desinteressada na implementação efetiva das políticas de combate ao racismo.

Esse dia será único, principalmente no contexto político atual, pois a Unicamp ainda disputa com a USP a vanguarda do atraso, compondo o quadro das universidades que, até hoje, negam a importância das cotas raciais e sociais como políticas de ação afirmativa vigentes e legitimadas nas universidades públicas brasileiras.

Cotas sim!

“Se no Brasil já existiu lei que favoreceu a exclusão, precisa sim haver leis que favoreçam a inclusão. Não se trata de capacidade ou incapacidade, muito menos de discurso de meritocracia ou vitimismo. Se branco tem cotas, por que não ter cotas para negros? Sim, brancos sempre tiveram cotas no Brasil. ‘Branco ter acesso’ é cota e privilégio”, afirmou Cinthia.

O SinPsi entende que a reprodução do racismo diário causa sofrimento de forma violenta e perversa, criando mecanismos de defesas, que levam a população negra a pensar que não tem capacidade. A Psicologia vem lutando contra qualquer forma de discriminação e o sindicato está junto nessa luta.

Sendo assim, igualdade de direitos é fazer com que as ações reparadoras olhem para equidade e para o privilégio. A mudança de estrutura favorecerá o fato emergencial de pontuar a miscigenação e quebrar com o projeto politico de enbranquecimento.

“O Estado Brasileiro deve à população negra uma medida reparadora e ações governamentais desenvolvidas em conjunto, por meio de programas que proporcionem a garantia de direitos e condições dignas de vida ao cidadão de forma equânime e justa”, considera a dirigente sindical participante do evento.

Confira o cronograma da mobilização:

DIA 29 DE MAIO: FESTIVAL PELAS COTAS!

A programação se iniciará às 10h da manhã e terminará às 21h. 

10h – Du Kiddy com participação de Aluísio Alberto. Local: Teatro de Arena

12h – Escola de Capoeira Angola Resistência – Núcleo Moradia e FE/Unicamp

14h – Mesa: Desafios para além das cotas: racismo institucional na Universidade; Local: Auditório da Adunicamp.

16h – [EM HOMENGAGEM AOS NOSSOS MAIS VELHOS]

A história de Raquel Trindade contada pelos (as) nossos griots

Roda de conversa sobre as ações diretas de uma militante negra na Unicamp; o nascimento, atuação e pensamentos do grupo de cultura negra Urucungos, Puitas e Quijengues. Além disso, vamos refletir sobre o movimento negro na cidade de Campinas, a partir das memórias sobre a Casa de Cultura Tainã.

A roda de conversa será seguida com um Samba de Bumbo com a participação do Grupo Urucungos, Puítas e Quijengues, Casa de Cultura Tainã, Renata Oliveira e convidados (as).

18h – Preta Rara. Local: Teatro de Arena

20h – MCLinn da Quebrada. Local: Teatro de Arena 

DIA 30 DE MAIO: ATO PELA IMPLEMENTAÇÃO DAS COTAS NA UNICAMP!

7h – CONCENTRAÇÃO PARA O ATO! (LOCAL: EM FRENTE A REITORIA)

9h – INÍCIO DA VOTAÇÃO DO CONSELHO UNIVERSITÁRIO

Deixe um comentário