Notícias

Solenidade celebra 40 anos e empossa nova diretoria do SinPsi

Mês de comemorações para o SinPsi e para toda a categoria de psicó[email protected] O sindicato completa 40 anos de atividades e celebrou a data em sessão solene na Câmara Municipal de São Paulo, na última sexta-feira, 23 de agosto. Na ocasião, também houve a posse da nova Diretoria Executiva e do Conselho Fiscal do SinPsi.

A mesa foi formada pelo deputado estadual Adriano Diogo; pela vereadora Juliana Cardoso – que convocou a solenidade –; pela secretária de Imprensa e Comunicação da CUT-SP, Adriana Magalhães; pelo presidente do SinPsi, Rogério Giannini; pelo psicólogo Aristeu Bertelli, representando a Secretaria Municipal de Direitos Humanos; pela presidenta do Conselho Regional de Psicologia (CRP-SP), Fátima Nassif; e por Janaína Diogo, representando a Secretaria Municipal de Saúde.

Na fala de abertura, a vereadora Juliana citou a importância da atuação de profissionais de psicologia na rede SUAS (Sistema Único de Assistência Social) e da luta do SinPsi contra a “cura gay” e pelo veto presidencial ao Projeto de Lei do Ato Médico.

“Os 40 anos valem para refletir as lutas e conquistas alcançadas. É importante ter o profissional de psicologia reconhecendo e brigando por seus direitos de trabalhador”, disse a vereadora.

Rogério Giannini, presidente reeleito, falou das razões de ter escolhido comemorar os 40 anos do sindicato e de fazer a cerimônia de posse da nova diretoria em uma casa legislativa.

“É fundamental valorizar os espaços de representação da sociedade, pois foram espaços conquistados a duras penas, que não nos foram dados de graça, nem apresentados como benesses. Foram espaços da conquista da população no processo democrático brasileiro. Eu estou entre aqueles que saíram às ruas para exigir eleições diretas, então reconheço o valor de uma casa como essa”, afirmou.

Adriano Diogo, parlamentar parceiro das causas psis, criticou as péssimas condições em que se encontram as unidades da Fundação Casa, após ter feito visita, no dia anterior, à unidade João do Pulo, do Complexo Vila Maria. 

“Há abusos cometidos por parte de funcionários e superlotação. Não há o menor respeito ao Estatuto da Criança e do Adolescente. Infelizmente, constatei isso e acho mais que necessária a intervenção de psicólogos nesses centros de detenção”, ressaltou o deputado.

Com fala marcante, Aristeu Bertelli mencionou a urgência da construção de uma rede humanizada no atendimento a pessoas em situação de drogadição.

“A cidade de São Paulo não pode mais aceitar a opressão, o tratamento destas pessoas como criminosas, por parte de nossos governantes estaduais. A construção da política pública precisa ser feita com a população, não com dor e sofrimento”, enfatizou, saudando a diretoria do SinPsi e oferecendo parceria da Secretaria de Direitos Humanos em defesa da dignidade humana.

E se a psicologia é fundamental tanto no trabalho com crianças aprisionadas quanto com drogadictos, ela também se faz indispensável no cotidiano de trabalhadores do mundo pós-moderno. Foi o que pontuou a cutista Adriana Magalhães:

“Ao longo do meu trabalho com bancários, pude perceber o quanto o adoecimento mental está no dia a dia do corporativo. Penso no desafio do SinPsi, de organizar uma categoria presente em diversos setores. Isso porque o psicólogo, além de agente social, também é um trabalhador, sujeito aos mesmos problemas. Vida longa ao SinPsi”, vibrou Adriana.

“A psicologia é uma presença viva na sociedade brasileira. Onde nós, psicólogos e psicólogas, estivermos presentes, na expressão de outras entidades, estaremos presentes politicamente, fazendo enfrentamento, tomando posição”, finalizou o presidente do SinPsi.

Leia aqui sobre os 40 anos do SinPsi.

Nova diretoria

Formada por novos psicólogos militantes e outros mais experientes, o grupo eleito para o triênio 2013-2016 conta com profissionais atuantes nas áreas de saúde, trânsito, jurídica, no sistema prisional e na Fundação Casa, dentre outros segmentos de atuação do profissional de psicologia. A eleição, que aconteceu em 28 de junho, contou com a chapa única Articulação para Lutar.

A votação ocorreu de maneira presencial, na sede do sindicato, em Perdizes, e também por meio do voto por correspondência dos psicólogos, tanto do interior quanto da capital, que estavam em dia com a Contribuição associativa, até 13 de maio deste ano. Estes foram recebidos pela comissão eleitoral, formada por Francinilda Lima e Roselaine Castanheira.

Os trabalhos de apuração transcorreram em ordem e não foram apresentados protestos ou recursos. Foram contabilizados dois votos presenciais e 280 votos via correio, totalizando 282 votos, sendo 280 válidos, cinco votos nulos e 38 votos em branco.

“Somos um sindicato classista, combativo e preocupado com as questões da população. O SinPsi foi para o CONCLAT, para o CONCUT e se tornou um sindicato cutista de primeira instância. Nossa história se confunde com a história da classe trabalhadora brasileira. Ele mostra ao psicólogo que ele é um trabalhador. Essa nova diretoria vem para fazer valer toda a nossa história”, ressaltou Giannini.

Clique aqui para conhecer os novos dirigentes do Sindicato dos Psicólogos de São Paulo.

Deixe um comentário